Estudo de cientistas de Stanford aponta ineficácia de fechamento do comércio

19 de março de 2021 • Economia, Estado, Saúde, Últimas Notícias • Visualizações: 538

Um robusto estudo cientifico de renomados cientistas da Stanford University, financiado com o apoio do Stanford Covid Seroprevalence Studies Fund e publicado pelo conceituado “European Journal of Clinical Investigation”, conclui pela inexistência de benefícios relevantes no combate ao coronavírus com a adoção medidas de fechamento de negócios.
O estudo foi denominado “Avaliação dos efeitos obrigatórios de permanência em casa e fechamento comercial na disseminação do Covid”. A Stanford University é considerada uma das cinco universidades norte-americanas de maior prestígio do mundo.

Conclusões do estudo
“Embora pequenos benefícios não possam ser excluídos, não encontramos benefícios significativos no crescimento de casos de NPIs (“medidas não farmacêuticas”, em inglês) mais restritivas. Reduções semelhantes no caso de crescimento podem ser alcançadas com intervenções menos restritivas”.
“Em resumo, não conseguimos encontrar fortes evidências que apoiem um papel para NPIs mais restritivas no controle de Covid no início de 2020”.
“Não questionamos o papel de todas as intervenções de saúde pública, ou das comunicações coordenadas sobre a pandemia, mas não conseguimos encontrar um benefício adicional de pedidos de estadia em casa e fechamento de negócios”.
“Os dados não podem excluir totalmente a possibilidade de alguns benefícios. No entanto, mesmo que existam, esses benefícios podem não corresponder aos numerosos danos dessas medidas agressivas”.
“Intervenções de saúde pública mais direcionadas que reduzam mais efetivamente as transmissões podem ser importantes para o controle futuro da pandemia sem os danos de medidas altamente restritivas.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *