Renovar Ciclos

31 de dezembro de 2020 • Colunistas, Vilmar Zanchin • Visualizações: 379

A natureza é cíclica. Todas as coisas possuem ciclos de nascimento, crescimento e morte, numa renovação infinita. Ciclos encerram para que novos se iniciem. Dentro do calendário ocidental, estamos num momento muito interessante. O período entre Natal, tempo de renascimento, e Ano Novo, tempo de renovação. São datas muito próximas, e acredito que não é à toa que seja assim.
Todas as manhãs iniciamos um novo ciclo. Deixamos a noite e o passado para trás, e possuímos uma tela em branco para poder fazer novas escolhas e ter um novo olhar sobre os desafios. Isso faz parte da vida, é o eterno retorno. Com a proximidade da virada do ano, surge uma oportunidade de iniciar um ciclo muito poderoso, pois contém dentro de si, todos os aprendizados de 2020. Muitos de vocês devem estar pensando que as coisas vão mudar mesmo, quando a Pandemia terminar. E isso tem um fundo de verdade. Mas o formato dessas mudanças, e principalmente as nossas mudanças internas, temos a chance de fazer agora.
Muito se fala do legado tecnológico que a Pandemia irá nos deixar. O trabalho remoto, que começou por necessidade, virou uma realidade, assim como o ensino à distância. Ao mesmo tempo em que essas ferramentas tecnológicas nos auxiliarão cada vez mais no mundo conectado, precisamos de forma urgente, evoluirmos como humanidade. Em quais valores iremos construir e alicerçar esse mundo pós Pandemia? No coletivo? Qual coletivo? Como fica o fator humano, a convivência, nossas relações? Se ao mesmo tempo a tecnologia nos facilita a vida, temos o poder de usar a tecla “delete” quando não gostamos do que está sendo apresentado para nós. Isso é perigoso, pois é no contraste de ideias, de pensamentos, que aprendemos a caminhar pelo equilíbrio.
Não podemos deixar que a tecnologia nos afaste da convivência e de experienciar os mundos e visões diferentes da nossa, pois isso é fundamental para nosso crescimento e expansão da consciência. O mundo pós pandemia necessita que a tecnologia seja utilizada como uma ferramenta, apenas isso. Diante da nossa frente, como a Aurora que pronuncia um novo dia, nasce a oportunidade de criar um novo mundo, uma nova realidade, onde o egoísmo dá lugar à empatia, ao entendimento, e ao equilíbrio. Temos bem diante de nós, a dádiva de sermos cada vez mais humanos.
Boas festas a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *