Desmotivação Profissional

25 de junho de 2019 • Colunistas, Marisete Kazimirski • Visualizações: 851

Quando chega domingo à noite a angustia começa a tomar conta?

Você sente que seu chefe não te valoriza como você gostaria?

Você está tendo conflitos constantes com os colegas de trabalho?

Se você respondeu sim para pelo menos uma dessas perguntas, talvez esteja desmotivado profissionalmente. Pessoas insatisfeitas adiam tarefas e projetos, contam as horas para o fim do dia e os dias para o final de semana, perdem horas em redes sociais, não tem animo e vontade de dar o seu melhor e apresentam queda de produtividade.

Questione-se sobre o que aconteceu para você sentir essa insatisfação. Quais são os problemas que você tem enfrentado e quais poderiam ser as maneiras de solucionar essas questões. Os motivos que geram a insatisfação podem ser inúmeros e relativos a cada empresa, os mais comuns são: ausência de um plano de carreira, salário incompatível com o mercado, sobrecarga de trabalho, falta de confiança, metas inatingíveis, falta de reconhecimento e problemas de relacionamento.

O trabalho deve ter congruência com aquilo que somos, com o que pensamos e com nossos valores e objetivos. Se esse sentimento de incapacidade está lhe perturbando procure trabalhar o seu autoconhecimento. Sinta o que você tiver que sentir, buscando o entendimento do que te levou a essa situação. É exatamente ali que começará a sua transformação.

Quanto mais satisfeitas as pessoas estiverem, mais resultado elas gerarão. O resultado que as pessoas tendem a gerar em suas funções, está diretamente relacionado ao nível de motivação. Procure encontrar os pontos positivos na empresa para alinhá-los com as seus pontos fortes, valores e missão de vida. Fazendo isso, seu trabalho deixará de ser um fardo, tornando-se uma ponte para a realização do seu sonho.

Reflita muito bem sobre o ônus de bônus que o trabalho atual lhe proporciona. Tome cuidado para não tomar atitudes e decisões no calor da emoção. Busque sempre retirar um aprendizado das situações conflituosas, agindo sempre com controle e inteligência emocional.

Caso você não tenha mais esperança em uma melhoria e sinta que não tem poder e autonomia para mudar a realidade da empresa comece a planejar uma mudança de carreira com calma para não deixar o “certo pelo duvidoso”. Mesmo que na sua percepção já não exista muitos pontos positivos em seu trabalho, ainda assim, é o seu emprego atual que está lhe dando condições para que você possa ir em direção aos seus objetivos. Lembre-se que na maioria das vezes, uma pequena mudança de atitude torna tudo mais fácil e suportável.

É importante evidenciar que a motivação não está no externo, ela está dentro de você. A empresa pode auxiliar a satisfazer as suas necessidades, as pessoas podem lhe incentivar e apoiar, mas, o motivo para a ação, precisa partir de você. Por isso reflita:

O que lhe motiva?

O que lhe faz acordar todo dia de manhã?

O que lhe faria continuar quando todos os outros desistiriam?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *