Em Montauri, Comissão Especial discute sobre acesso asfáltico para sete municípios

10 de junho de 2016 • Cidades, Montauri • Visualizações: 1645

A Comissão Especial dos Municípios Sem Acesso Asfáltico, presidida pelo deputado estadual Gilmar Sossella (PDT) na Assembleia Legislativa, promoveu na noite de quinta-feira (9) uma audiência pública no Centro de Convivência do Idoso de Montauri. No encontro foi debatido o acesso asfáltico para sete municípios: União da Serra, Guabijú, Montauri, Protásio Alves e São Jorge (Amesne); Muliterno e Santo Antônio do Palma (Ampla).

O deputado Sossella destacou a mobilização da comunidade de Montauri e região que, mesmo com o frio intenso, lotou o Centro de Convivência do Idoso, reiterando a importância do assunto para toda a população. “A Comissão está aqui somando. Não viemos prometer asfalto. A nossa função é estimulá-los a estarmos juntos nesta grande cruzada para resolver a maior injustiça do Rio Grande do Sul de ter ainda 76 comunidades sem asfalto”, destacou.

Durante a audiência pública, a gerente administrativa e financeira da Lamiecco Plásticos, Adriane Lasta Forcelini, relatou que a empresa enfrenta diversas dificuldades por causa da falta do asfalto. De acordo com ela, quando chove, é preciso contar com a ajuda da prefeitura para auxiliar caminhões carregados com os produtos a seguir viagem.

“A ausência do acesso asfáltico para nós ou qualquer outro município nos deixa em situações constrangedoras. Nós nos sentimos incompetentes por não sermos independentes em transportar nossos produtos. É atraso na entrega de produtos, é dificuldade para conseguir transportadoras que nos fazem perder pedidos, clientes e credibilidade. Precisamos desse acesso para poder crescer e trazer maiores tecnologias”, informou Adriane.

O prefeito destacou que o ato foi um momento histórico para a população. “Precisa do asfalto para levar desenvolvimento e progresso para a comunidade. Estamos em desenvolvimento, mas estamos impedidos de crescer mais por não termos o acesso asfáltico”, lamentou o prefeito de Montauri, Marcelo Boff (PTB).

Presidente da Amesne e prefeito de Vista Alegre do Prata, Ricardo Bidese, destacou o quanto é notável a diferença nos municípios da região a partir da chegada do acesso asfáltico. “A crise está difícil, mas nós como prefeitos temos que encontrar soluções para garantir o acesso asfáltico às comunidades que ainda estão na luta”, disse.

SITUAÇÃO DAS OBRAS – O engenheiro e representante da Superintendência do Daer de Passo Fundo, Adriano Oliveira, informou a situação das obras da região durante a audiência. “Santo Antônio do Palma e Muliterno são as que estão em andamento no momento. A primeira já está licitada a obra para a conclusão do trecho e a segunda está bem encaminhada. Já as outras estão sendo estudados os projetos e a busca por recursos”, colocou.

O deputado Ronaldo Santini (PTB), integrante da Comissão Especial, destacou a busca por recursos em 2011 na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no Rio de Janeiro, liderada por Sossella, para as obras de asfaltamento no Estado. “O recurso está disponível nos cofres para fazer a obra, mas ele só vem sendo liberado à medida que as obras vêm sendo retomadas. Vamos acompanhar de perto essa situação para fazer com que essas obras aconteçam”, ressaltou.

O relator da Comissão Especial, deputado Vilmar Zanchin (PMDB), salientou que a situação financeira do Estado é a explicação para ainda o Rio Grande do Sul ter um número elevado de municípios sem acesso asfáltico. “Vemos aqui a angústia, o sonho, a apreensão em ver uma luta que se estende há quase duas décadas. Fazemos parte deste movimento para que possamos ter todos os municípios do RS com acesso pavimentado”, colocou.

O prefeito de Guabiju, Braulio Garda (PMDB), expôs que o trecho para o município são de 18 quilômetros de estrada de chão até a RS-324. “Nosso projeto já vem rodando em torno de 40 anos, mas não podemos perder a esperança. Somos uma ligação entre a BR-285 e a RS-324 e seríamos uma obra estruturante para o Estado e mesmo assim não se deu sequência”, lamentou.

Estiveram no evento também o vice-prefeito de Montauri, Nelcir Stefenon (PDT); prefeito de União da Serra, Luiz Mateus Cenci (PT); prefeito de Santo Antônio do Palma, Gerson Luiz Richato (PP); presidente da Câmara de Vereadores de Montauri, Cacildo Possa (DEM); presidente da Câmara de Vereadores de União da Serra, Eloir Francisco (PT); representantes dos deputados Juliano Roso (PCdoB), Vilmar Zanhcin ( PMDB ) e Sérgio Turra (PP); demais vereadores, lideranças e participantes.

LUTA CONSTANTE – Há pelo menos cinco legislaturas a Assembleia Legislativa tem analisado o tema em Comissões Especiais. Em 2007, eram 124 municípios sem asfalto, número reduzido para 104 em 2010. O governo anterior, impulsionado pelo acréscimo de R$ 100 milhões conquistado pela Comissão Especial dos Municípios sem Asfalto junto ao empréstimo do BNDES em 2011, acelerou a conclusão de vários trechos.

Atualmente, são 76 municípios gaúchos que ainda batalham pela pavimentação asfáltica. A primeira audiência pública deste ano da Comissão ocorreu em Amaral Ferrador, seguida por Sede Nova e Pirapó. Os encontros também acontecerão em Dois Irmãos das Missões, Santo Expedito do Sul, Pinhal Grande e Ponte Preta.

Crédito das fotos: Wilson Cardoso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *