Resgate da cultura italiana em Montauri

5 de maio de 2016 • Entrevista, Montauri • Visualizações: 1902

Dentro das comemorações dos 28 anos de emancipação politico-administrativa do município, foi criado o projeto que visa resgatar a cultura italiana. Nos últimos meses, as 9 comunidades de Montauri, realizaram a “ Noite Italiana”, que mostrou a cultura, pratos típicos, jogos, vestimentas e história da época da vinda dos primeiros colonizadores do povoado da  Linha José Bonifácio, hoje Montauri.

 

As comunidades do município de Montauri nos últimos meses, realizaram  a “Noite Italiana“ onde prepararam para a janta pratos típicos italianos, pré-definidos, além do jantar, contaram piadas e apresentaram o histórico da comunidade, as famílias que fundaram as capelas, quem viveu no local. Dentro desse projeto,  ainda é foi montado um espaço com objetos antigos relacionados à cultura italiana, que é o forte da população montauriense, com fotos que mostram e contam a história das famílias e da comunidade.
De acordo com o Prefeito Municipal Marcelo Boff, os moradores das comunidades fizeram apresentações artísticas com os objetos da época, a noite italiana, também deu espaço as apresentações de talentos locais que tocam algum instrumento, como: gaita, violão, teclado e canto. Marcelo também destacou que foram lembrados o jogo da Mora e da Morina, de cartas, como bisca, quatrilho, três sete, escova, em algumas comunidades até foi feito o jogo de bocha, do chinquilho, que são jogos típicos italianos. Outro, momento muito importante dentro da Noite Italiana é o espiritual e de religiosidade, pois através da imigração italiana, veio muito forte a questão da religiosidade, e nós temos um grande diferencial entre os municípios da região, tanto no interior, como na cidade, a Capelinha, com a imagem da Nossa Senhora, visita às famílias, de casa em casa, onde uma família leva pra outra.
Quanto a janta típica italiana, Marcelo destaca que foram vários os cardápios servidos como: o tótio que é a carne em molho com polenta, queijo frito, radicci cotti,  o nhoque, algumas comunidades serviram o café colonial, outras serviram a fortáia, que é o queijo frito com ovo mexido, salame com ovo mexido e as abóboras recheadas, houve também uma homenagem ao vinho, sendo que é uma das bebidas símbolos da imigração, o pão caseiro, pão de forno, o capeletti. O projeto também resgatou a questão do Milho, que foi a base da alimentação da época, e com ele veio a polenta,  os biscoitos e todas as aplicações, a massa e seus molhos, entre outros. Cada comunidade, teve a liberdade de escolher o cardápio.
O Prefeito também disse que foi muito bonita a participação da comunidade no envolvimento com a festa, contando histórias dos contos italianos numa época que as famílias se sentavam ao redor da mesa, o tipo de alimento, as orações, o trabalho e os instrumentos utilizados na época, a história das crianças.
Após a janta típica, ocorreu o baile do lampião e do liquinho, as luzes do salão são apagadas e a iluminação é feita por lampiões, à moda antiga, onde os homens ficam separados das mulheres, e vão cortejá-las para dançar, com pedido muitas vezes repetido porque em um primeiro momento há resistência da mulher. Este era o Baile de Lampião e do líquido. Os participantes destes baile geralmente foram vestidos com trajes típicos da época.
No final da noite em uma homenagem à imigração italiana, e Marcelo friza que Montauri é conhecido como o município mais italiano do país, é cantado a música do folclore Mérica Mérica, fechando com chave de ouro.
A Noite Italiana aconteceu nas 9 comunidades do município. Marcelo comentou que foram registradas as imagens destes eventos que serão usados para a produção de material em um DVD de cada comunidade. Reunimos para um registro fotográfico todos os moradores atuais e antigos das comunidades, e posteriormente faremos a entrega para comunidade, como uma lembrança junto com o DVD.
No dia 21 de Maio de 2016, no Salão Paroquial acontece a Noite Italiana, que contará com a presença dos moradores de todas as comunidades de Montauri, e envolvendo-as realmente nas comemorações dos 28 anos do município.
Todas as comunidades de Montauri, surgiram antes do município, tendo cada uma, sua história muito particular. O município de Montauri surge através dessas comunidades do interior e nessa noite a Administração Municipal vai fazer a entrega da foto e do DVD, ainda dentro da programação da noite, a Orquestra Municipal de Travesseiro/RS fará uma apresentação, haverá café colonial e logo em segue acontece o baile típico italiano para comemorar o encerramento do projeto, que a administração municipal considera o principal projeto dentro do 28º aniversário de Montauri, com todas as comunidades participando e se envolvendo.
Perguntamos qual Noite Italiana lhe chamou mais a atenção e Marcelo respondeu que fica difícil dizer qual comunidade se destacou neste projeto, devido a sua particularidade, o seu momento, que ficou realmente muito bonita.
O Projeto Resgatar começou em fevereiro de 2016 e foi encerrado no dia 23 na comunidade São José da linha 12.
A Secretaria de Educação e Cultura, está realizando uma visita, nas comunidades e pede para as famílias que ainda tem algum objeto que caracteriza a imigração italiana como por exemplo: chapéus de Palha,  cestas de vime, ferramentas usadas no plantio de milho a mão, carroça de boi, forno para assar o pão, os instrumentos de trabalho, como os cabos da enxada, do Machado. Tudo isso será utilizado para gerar as imagens do Resgate neste documentário do DVD.
A intenção da Administração Municipal é de fazer um museu, pois com a concessão de uso da antiga Casa Paroquial que ocorreu neste ano, agora o município possui um espaço, mas para isto, é preciso fazer alguns ajustes de melhoramento estrutural, e tão logo fique pronto, o Museu será inaugurado, para mostrar a história, os objetos e instrumentos, pois Montauri tem uma história bonita e não pode ficar no esquecimento, futuramente os nossos filhos e netos poderão conhecer a história de quem aqui viveu, as dificuldades da época e a superação com muito trabalho, reconhecido hoje, sendo destaque na região e no país, pelo seu povo trabalhador, ponderou o prefeito.

marcelo boff

Como surgiu o nome Montauri?
Marcelo Boff – Bem, antigamente o nosso município era conhecido como linha José Bonifácio. Com a vinda do engenheiro José Montauri de Aguiar Leitão, de Porto Alegre, sendo o responsável pela medição e marcação das terras da nossa região. Devido a isto, que se originou o nome do nosso município, em homenagem a este engenheiro que foi o responsável pelo desmembramento e divisão das terras na nossa região.
Sua mensagem aos munícipes ?
Marcelo Boff – Quero deixar uma mensagem de muito carinho e muito respeito ao povo que, apesar das dificuldades, desde o surgimento das comunidades com seus primeiros habitantes que aqui se instalaram, abrindo estradas de forma rústica e hoje a gente percebe que ainda existe muito forte a questão do crescimento, desenvolvimento e do anseio de dias melhores. Meu respeito e parabéns à população pela sua dedicação, trabalho, sua vontade e força de vencer cada vez mais. Montauri é uma terra produtiva, devido ao trabalho de todos nós.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *